Pesquisar este blog

17 de abril de 2007

Infantilidades Maduras

Quanta coisa pra dizer. Isso que dá passar tanto tempo longe do "escrever"!
Começar do começo, então...
  • Show do Aerosmith - Ou melhor, do Velvet Revolver!

Muito bom, heim? Chorei feito criança quando Dream On começou a tocar... E Don't Wanna Miss A Thing, então... Ao vivo?! Um filme passou na minha cabeça. Aquela letra, a minha vida antiga, as circunstâncias, idéias, conceitos mudados... Ainda bem que coisas ruins estão ligadas às boas, e nem sempre as boas estão ligadas às ruins. E minhas reclamações por não ter ouvido uma série de músicas serão aqui deixadas! Onde já se viu, vir pra cá, e não cantar Crazy, Fly alway from here, Hole in my soul... ?! Hnf...
Sem contar que eu sabia que Velvet era bom, mas não tão bom. Fall to Pieces, Set Me Free - Slash!

  • Outback, pra comemorar o anversário do Guilherme - Bunda, por alcunha.

Bom, né? Sou da opinião de que amigos, juntos ou separados, por muito ou pouco tempo, rindo ou chorando, falando ou ficando quietos, são sempre a melhor companhia, a melhor opção. Ainda mais pra comemorar qualquer que seja a data - salvo que aniversários são sempre importantíssimos, e é necessários ressaltar. Amigos mais próximos, só 2 ou 3, mas como eu já disse por diversas vezes, mas ainda não aqui, ter amigos é muito bom, mas melhor ainda é entender que os amigos dos nossos amigos, são nossos amigos também. Mesmo com crises existenciais, e um dia conturbado - porque olhar-se no espelho e enxergar nossos defeitos é sempre algo conturbador, ainda mais por ser inerente e não ser passível de reparo num piscar de olhos; a noite compensou muito.

  • Seminários, Trabalhos, Provas...

Agora entendo porque "correria" é sinônimo de "faculdade", pra maior parte dos estudantes! E as coisas só acabam depois da primeira semana de maio. Pra começar tudo outra vez, e repetir o ciclo por 10 semestres. Daí, nada de poder parar e pensar na vida, e escrever cartas pra ninguém - ou pra vários destinatários, sabe-se lá... Sou dada a caprichos assim, de vez enquando. Não dá pra programar coisas, aqui dentro ou aí fora.

E finalmente, hoje.
Que eu desanuviei as idéias, coloquei tudo em pratos limpos, e ainda não estou em prantos. (Melhor explicar: não vou chorar de dor, de magoa, nem de alegria. Vou chorar pra limpar aqui, pra poder arrumar a Lívia.)
É de uma leveza inexplicável, de um encanto sem razão...
Aquilo que é, e só de ser, basta-se.
Me propus um caminho de volta, daqueles que evitam sofrimento, e já sei que ele existe. Não, não vou usa-lo. Quero sentir.
Já disse a mamãe, que tudo tem seu tempo, assim como a comida que sai do microondas. Eu espero. "Por você, vale esperar... eu espero"; por mim, vale esperar, então me espero.
Esperar vivendo, e não viver esperando.

Porque não é sempre que a gente encontra maturidades delicadas, nem infantilidades maduras.
Sorrisos e olhares. Dengos e carinhos dos amigos... amigo mesmo, bem sincero, sem medo do que quer que seja.

Sorte de hoje: Simplicidade de caráter é o resultado natural da reflexão profunda.
- Eu nunca vi o Orkut ser tão sábio.

5 comentários:

Felipe disse...

Poxa Lee, as vezes me faltam palavras pra comentar os seus escritos... Faltam palavras a altura, para tamanho deleite...

Felipe disse...

Poxa Lee, as vezes me faltam palavras pra comentar os seus escritos... Faltam palavras a altura, para tamanho deleite...

Fê Savino disse...

Lee... ufa! Qtas coisas, hein? Tb preciso atualizar meu cantinho.. também a correria, às vezes, nos impede de parar e nos dar um tempo...
Aliás, já limpou a Livia aí dentro?!?!?! hehe
Bjinhosssss, fofa!

Juliano disse...

Lee!

Parabeeeeeeeens por ontem, e por amanhã!!!

To aguardando o post da festa... =]

vc viu isso:

http://www.fotolog.com/_magadoid_/

?

Bjokas!

davis_reimberg disse...

Adorei.... principalmente a parte q diz:" os amigos de meus amigos sao meus amigos" pq assim como vc tb preservo minha amizades. e amos todos os meus amigos aqueles q sei q posso contar assim como vc bjus Davis