Pesquisar este blog

10 de abril de 2007

Politica-mente (in?)correto.

Ai! Escrever é um vício adorável!
Fiquei horas e horas antes de dormir, só esquematizando, e deixando minha mão coçar, com vontade de escrever. Aliás, escrever à tinta (no meu caso, à grafite), é uma sensação para poucos!
Tive aula de História do Direito, ontem. Aula muito produtiva, pra sanar as indagações que eu ando me fazendo - E isso nada tem a ver com Direito Romano, a não ser o lado da tão elogiada praticidade à que eles assumiam.
A vida toma lá seus rumos, e as vertentes fazem com que mudemos nossa maneira de olhar e entender as coisas. Daí, quando menos se espera, aqueles sub-conceitos que você jurava não abrir mão, mudam numa piscadela. É possível ser taxada de hipócrita, de falsa, imatura, contraditória... Ora! Atire a primeira pedra quem nunca viu por outro ângulo a mesma situação, independente de quantos ângulos exista nela! O paradoxo é essencia do ser humano.
A questão não é a taxativa... Ela é consequência da tirania bestial do "politicamente correto".
Mas, ora que diabos (!), politicamente correto, para quem? Se sou o indivíduo em questão, a parte os demais comentários, que sim, são levados em consideração, partindo de pessoas relevantes - e digo, plenamente relevantes!, é a minha visão que prevalece. E, não há porque me iludir e achar que elas jamais mudariam - Eu quero é que mudem, pra melhor. Por mais evasivo que seja dizer "pra melhor"...
Opiniões existem para serem aprimoradas, modificadas...
Alguém aí tem ligeira noção do que muda na vida da gente, uma frase expositiva, da ideia de um amigo próximo, sobre qualquer que seja o assunto? Isso me faz pensar horas e horas. Sobre mim, circunstâncias, hipóteses... minhas adoradas metáforas!
Participei de um encontro, na quinta passada. Daqueles que os amigos riem, comem, bebem, riem e riem outra vez, dando graças a Deus pelas escolhas acertadas que fizeram na vida, que levaram a situações como a que estávamos vivenciando.
Muita coisa muda, em muito pouco tempo. A nostalgia existe, de maneira positiva, no nosso caso - Ela só faz impulsionar novas escolhas... Novas melhores escolhas.
E o tempo todo, estamos tomando decisões. A maior parte delas páira naquilo de mudar ou nao mudar, e por mais que mudar assemelhe-se a crescer, ninguém arrisca-se em dizer que é fácil.
Mesmo assim, agradeçemos ali, pelas nossas escolhas, pelo nosso feliz cruzar de caminhos.
E é disso que eu falo, de mudar o rumo no meio da viagem; de parar pra pensar diferente; de se respeitar e permitir-se. Permitir-se atiçar, explorar, amar. Mudar...
Não acredito que o "politicamente correto" esteja disposto pra mim. Mas acredito que eu possa contribuir para visões do que seja o "politicamente correto".
O que eu quero, é muito (e difícil) pra dizer. Mas sei bem o que eu não quero. E o que eu não quero, é viver encrostada, dentro da caixinha de música empoeirada, sem me permitir novos olhares.
Isso não significa que eu abandone conceitos antigos. De forma alguma(!), existem coisas que são inerentes; muitas delas, carrego por opção. Mas que possa, agora, coloca-los em exposição para o aprimorar que a vida dá. E nesses casos, não adianta muito hipotetizar, como eu tanto gosto.
Como já dizia minha avó, embora sem o quinhão pejorativo que preconiza o sistema: é a ocasião, quem faz o ladrão.

3 comentários:

Nana Ferreira disse...

E como já dizia a MINHA avó, pra mudar, basta estar vivo. Basta ter qualquer opinião.

Quem muda cresce, evolui e transgride.

Quem não muda nunca morre cedo, enjaulado nas próprias convicções.

Palmas para a mudança, seja ela politicamente correta ou não!

Felipe disse...

Nostalgia... Ô palavrinha presente ultimamente viu...

Mudanças são inerentes a vida, nota-las é q é opcional... Somos um conjunto daquilo que fomos, somos e o que queremos ser...
Acompanhados a cada passo, pelo medo e a vontade de buscar algo diferente e deixar pra tras o q não podemos carregar...
Mas de tudo a gente leva um pouco...

Otimo Texto Lee!

Fê Savino disse...

Lee... as mudanças, às vezes, podem ser de diversas maneiras... as que doem e as que, simplesmente passam desapercebidas até que vc se depare com uma situação na qual agiria de maneira diferente e, qdo vê, já foi, já mudou!!!
A mudança é necessária e obrigatória... faz parte do crescer e do tentar entender coisas inexplicáveis...
Mudanças.. sempre mudando... independentemente da onde e do porquê...