Pesquisar este blog

28 de setembro de 2008

Subserviência.

O normal é confundirem humildade com subserviência.
Você nunca pode mostrar que sabe mais que o outro; se torna o sabichão inconveniente.
Você nunca pode entender mais depressa; está fazendo tipo.
Reconhecer seus defeitos e, principalmente, as qualidades? Está se gabando...
Note: é normal esperar do outro. Seja o café da manhã na cama, como o telefonema, o cuidado, a atenção, a compreensão...
- O que não consigo negar é que, só noto isso, em relações onde há carinho. Nem que sejam um carinho unilateral, mas há sentimento, há desejo de querer perto, de querer bem.
Unilateral... é quando procura-se a recíproca, e ela nem sempre é condizente com o discurso.

Quando se trata de depositar expectativas sobre outrem, seja o filho mais velho, o afilhado, a amiga, o namorado, noto quão comum é perder o tino, perder a noção de limite – Você jamais será a outra pessoa, por mais que tente, por mais que se esforce; ela escolhe e vive por si própria.

Eu decidi me impor à mim mesma. Decidi mudar.
Animei-me mais quando descobri que mudar é verbo, e se conjuga, e a primeira conjugação é na primeira pessoa do singular: Eu mudo. Eu preciso mudar.

2 comentários:

Marco Vicente Dotto Köhler disse...

pois é... como diria Belchior, na viz de Elis regina "ainda somos os mesmos e seremos como nossos pais..."

obrigado pela visita
e, parecendo placa de saída de cidade: volte sempre.
:D

Fernanda S. disse...

Que fofa!!!!
Adorei as mudanças que já são notáveis... até no sorriso, até no cabelo!!!
Que sejam ótimas as mudanças pra vc!!!!

Beijinhossss